Finanças Sustentáveis

fs na mídia

Mercado financeiro: Setor também incorpora a sustentabilidade

01/07/2008

O mercado financeiro também está atento à rotulagem ambiental. Instituições de crédito entendem que uma empresa que não está preocupada com a questão pode representar perdas de investimento e estar sujeita a multas, colocando o negócio em risco. Hoje, ao oferecer financiamentos, alguns bancos perguntam se a empresa possui linhas de crédito específicas e se é ambientalmente sustentável.

Segundo o analista Cássio Trunkl, da agência Finanças Sustentáveis, é preciso estar atento à seriedade da agência certificadora, e os selos não são, por si, garantia de que as empresas tenham de fato uma gestão socioambiental. “Esses selos e certificações devem fazer parte de uma série de diretrizes socioambientais que integram a estratégia de sustentabilidade das empresas, isto é, que leva em consideração os aspectos econômicos, sociais e ambientais nos negócios. Também é importante observar que há selos e certificações que se diferenciam por serem reconhecidos internacionalmente.”

Trunkl conta que o setor financeiro olha com mais atenção para esse tipo de política empresarial. “Para o setor financeiro, esse novo mercado não se restringe simplesmente ao financiamento para que as empresas obtenham selos ou certificações verdes. É, sim, um mercado muito mais amplo e que no Brasil tem muito espaço para crescimento. Mais recentemente o setor financeiro no Brasil vem ampliando suas iniciativas no sentido de incorporar a sustentabilidade aos seus negócios, sobretudo, os maiores bancos brasileiros passaram a oferecer alguns produtos com foco socioambiental”, diz o analista, lembrando que bancos em outros países, principalmente na Europa, oferecem uma linha de produtos com esse foco muito diversificada e preocupada em evitar os impactos causados pelas recentes mudanças climáticas.

“Aqui no Brasil, especificamente com relação à obtenção de certificação verde, há o produto CDC Certificado Florestal do Bradesco para clientes que pretendam obter certificação de manejo florestal, nesse caso certificação com o selo FSC (Forest Stewardship Council), único selo florestal reconhecido internacionalmente”, exemplifica Trunkl, para quem, de uma maneira geral, as exigências dos bancos incluem a verificação de licenças ambientais, se o cliente tem multas ambientais ou trabalhistas, as condições dos trabalhadores, cuidados com o tratamento de resíduos, dentre outras.

Citado por Trunkl, o Bradesco informa que tem, sim, uma série de linhas de crédito específicas para empresas preocupadas com o meio ambiente. Por meio de sua assessoria de comunicação, o banco brasileiro destaca ofertas como o “EcoFinanciamento de Veículos”, linha de financiamento de veículos iniciada em 2007 em parceria com o programa Florestas do Futuro da Fundação SOS Mata Atlântica, na qual para cada veículo financiado são plantadas mudas de árvores nativas com o objetivo de contribuir para o reflorestamento da Mata Atlântica e reduzir os efeitos do gás carbônico na atmosfera. Já o “Capital de Giro Ambiental” do Bradesco é destinado às pessoas jurídicas, cuja atividade esteja relacionada ao desenvolvimento social e preservação do meio ambiente ou detentora de certificação ISO14000. Na área do transporte especificamente há o ProCaminhoneiro - linha de repasse de recursos do BNDES para financiamento ou arrendamento mercantil voltada para a aquisição de bens novos e usados (caminhões, chassis, caminhõestratores, carretas, cavalosmecânicos, reboques, semireboques) e também sistemas de rastreamento novos.

Revista CNT Transporte Atual

Publicado na página 50 da edição número 155 de julho de 2008.

voltar

finanças sustentáveis . todos os direitos reservados