Finanças Sustentáveis

fs na mídia

Setor financeiro e sustentabilidade ganham destaque na pauta do FSM

09/02/2009
Victorio Mattarozzi*

Em plena crise econômica global, inicialmente desencadeada pela quebra de instituições financeiras nos Estados Unidos, a discussão sobre o papel dos bancos na promoção do desenvolvimento sustentável não poderia ter ficado ausente da agenda do Fórum Social Mundial 2009, recentemente realizado em Belém do Pará.

Três eventos sobre este tema tiveram lugar no fórum, com destaque para o Seminário “Sustentabilidade, Banco Central e Sistema Financeiro”, promovido pelo Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central do Brasil – SINAL.

Este evento teve por objetivo compor um quadro sobre a sustentabilidade no setor financeiro e refletir qual seria o papel do Banco Central diante dos enormes desafios impostos pela atual crise econômica e pelas questões socioambientais associadas às atividades do setor.

Na nossa palestra nesse seminário apresentamos um panorama sobre como as instituições financeiras, nacionais e internacionais, lidam com a variável socioambiental em suas estratégias de negócios. Isto é um processo que vem ocorrendo tanto pela adoção de diretrizes para avaliar os riscos sociais e ambientais no processo de decisão de crédito e de investimento, como pelo lançamento de novos produtos financeiros destinados, por exemplo, a preparar seus clientes para uma economia que caminha para a baixa emissão de carbono.

É nessa direção que o Banco Central exerceria papel fundamental: fomentar a criação de instrumentos financeiros de alcance global, tais como fundos de investimentos e linhas de crédito, destinados a atrair recursos de grandes investidores institucionais e do setor público que seriam canalizados no combate ao desmatamento e às mudanças do clima e a projetos no setor de energias renováveis.

Desse modo, o Banco Central estaria atuando não somente para solucionar a crise econômica, como também contribuindo no combate ao aquecimento do planeta.

Na mesma linha do seminário organizado pelo SINAL, ocorreu um outro evento, promovido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, que abordou o papel do crédito na sustentabilidade da Amazônia.

Ainda um terceiro painel, articulado por uma rede de organizações sociais, colocou em discussão o alcance socioambiental das atividades financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Estes três eventos são uma demonstração inequívoca de que a sociedade civil brasileira percebe o papel indutor que o setor financeiro exerce, sobretudo por meio do crédito, na promoção de negócios com mais sustentabilidade.

Revista Sustentabilidade (edição eletrônica)

*Victorio Mattarozzi é sócio-diretor da consultoria Finanças Sustentáveis e co-autor dos livros Sustentabilidade no Setor Financeiro - Gerando valor e novos negócios e Sustentabilidade dos Negócios no Setor Financeiro: Um caso prático

voltar

finanças sustentáveis . todos os direitos reservados